Voltar

Processos e Instrumentos de Avaliação

    A avaliação, no conjunto dos Planos Curriculares, foi considerada em conformidade com a concepção de avaliação do presente documento e das Diretrizes curriculares da RCE, tendo-se o cuidado de, em cada disciplina, apresentarem-se as principais especificidades que lhe são inerentes nesse aspecto, especialmente levando em conta as matrizes curriculares do Programa de Avaliação Acadêmica da RCE – PROARCE –, que é aplicado como forma de monitorar e gerir seu processo de ensino e aprendizagem.

    A avaliação tem a função de favorecer a autonomia do educando e de ajudá-lo a perceber o valor do que aprende.Consequentemente, a forma de ensinar e de avaliar os conteúdos deve possibilitar ao educando uma visão ampla das diversas relações que podem ser estabelecidas entre uma disciplina e as demais áreas de conhecimento e da função que elas assumem na sua formação. 

    Espera-se, assim, que o processo de avaliação desvele ao educando o que ele aprende e como ele aprende para que tenha confiança em sua forma de pensar, analisar e enfrentar novas situações. A avaliação deve servir para aconselhar, informar e indicar mudanças, numa lógica cooperativa que faz do diálogo uma prática e da reflexão uma constante.

    Assim, a avaliação escolar é para o educador e para a escola uma oportunidade constante de reflexão sobre o seu projeto pedagógico, seus objetivos, suas possibilidades e a situação de cada educando, suas aprendizagens e suas necessidades em relação às metas estabelecidas. 

    Por sua vez, para o educando a avaliação tem por função torná-lo ator e autor de sua aprendizagem. Dessa forma, para educandos, educadores e escola, avaliar implica recolher, descrever, analisar e rever o processo de ensino e de aprendizagem.